Comparativo CLT x PJ

Hoje em dia no mercado de TI (nem só TI, mas TI principalmente), existem várias maneiras de contratação, das quais as mais utilizadas são:

* CLT: Registrado com carteira de trabalho assinada, férias, etc
* PJ: Pessoa Jurídica, na qual o profissional tem que abrir uma empresa e vira um prestador de serviço.

Existem variações da CLT, como a tal de CLT Flex, na qual o funcionário é registrado por um valor menor e recebe o resto legalmente “por fora”. Outra variação é o registro CLT por um valor baixo e recebimento de participação nos lucros na empresa bimestralmente. No meu ponto de vista, estas variações são piadas de mal gosto e nem comento aqui, mas infelizmente essas são as saídas de muitos profissionais que estão ingressando no mercado de trabalho e tem que se “submeter” a tal modalidade.

Em síntese, um profissional registrado como CLT tem todos os direitos previstos na legislação brasileira, tais como: 13, férias, FGTS, etc. Porém ele paga uma alta carga tributária e o valor líquido que ele recebe é menor que o valor bruto, ou seja, o valor registrado em carteira. Um profissional registrado por 4500 reais, recebe aproximadamente 3600 ao final do mês, um desconto de quase mil reais!
Um profissional que presta serviço através de sua empresa (PJ), tem por características pagar menos impostos e ter menos benefícios, portanto, o valor líquido que ele pega em mãos, é muito maior, além disso, as empresas que contratam um profissional PJ, tem um custo muito menos para manter o “funcionário”, portanto, podem pagar mais pelo seu trabalho.

Colocando isso em números para podermos comparar as duas modalidades de contratação, vamos a um exemplo abaixo:

Profissional CLT registrado por 4500 reais.

Profissional PJ com o valor hora de 50 reais calculando um mês de 168 horas. (50 * 168 = 8400) – Este valor hora é de um programador Java Sênior, mas podem haver variações.

Para calcularmos o real salário do funcionário CLT, não basta somente verificar o valor que ele recebe líquido, temos que colocar todos os benefícios na equação, alguns exemplos são:

3600 – Valor líquido ao fim do mês
400 – INSS (este valor retorna algum dia na aposentadoria)
300 – 13 (valor do 13 dividido por 12)
300 – 14 (algumas empresas tem 14/Participação nos lucros, é a mesma conta que para o 13)
1000 – Plano de saúde executivo familiar (profissional + esposa + filhos – eu cotei o melhor plano da Amil)
250 – Ticket refeição
250 – Vale transporte

Os benefícios variam de empresa para empresa, então esta conta é bem pessoal, citado acima alguns exemplos comuns, baseado nestes exemplos, podemos dizer que o salario do profissional CLT é então:

3600 + 2500 = 6100

Agora, calculando o valor do profissional PJ, temos 50 * 168 = 8400.

Os valores do CLT e do PJ podem variar com adição de horas extras, mas NUNCA se deve levar em consideração este fator, visto que é algo que pode não existir.

Em cima do valor de 8400, o profissional PJ vai pagar aproximadamente 15% de impostos/escritório/etc, é um valor alto, mas a média é entre 10 a 15% mesmo, para fazermos estas contas, sempre devemos chutar alto.

Descontados os 15%, o PJ tem ao final do mês 7140 reais na mão. Agora veja que o PJ não tem NENHUM dos benefícios do CLT, então este valor dos benefícios deve ser descontado do PJ:
7140 – 2500(benefícios do CLT) = 4640

Agora destes 4640, desconta-se o salário líquido do CLT (3600), que vai dar uma diferença de 1040.

Concluindo:

Existem ‘N’ fatores que podem entrar nesta equação, o CLT pode ter mais ou menos benefícios, o PJ pode ter algum benefício também, porém em geral, O CLT tem que considerar que tem férias, licenças (maternidade, doença, seguro desemprego, etc)FGTS, etc.. enquanto o PJ não tem NADA disso, se ele quiser o benefício, vai ter que pagar de seu próprio bolso.

Outro fator que muitas pessoas consideram é a estabilidade do CLT. Para uma empresa mandar um profissional PJ “embora”, é muito mais prático e não tem custo algum, no máximo tem um contrato assinado que normalmente dá até este direito para a empresa, ai o PJ vai embora sem receber nada! Para mandar um CLT para a rua, é caro! Uma empresa sempre vai preferir mandar o PJ para a rua! Eu não levaria em consideração este fator na área de TI se você for um bom profissional (bom CV, falar inglês, etc), pois o mercado é aquecido e não faltam vagas.

O PJ normalmente não tem plano de carreira, o CLT costuma ter. Algumas empresas também pagam cursos para os profissionais CLT, e isso tem seu valor e tem que entrar na conta.

Por outro lado, o PJ pode trabalhar muito, fazer horas extras irreais, e recebera por isso, um CLT, esta limitado legalmente em seu numero de horas (40 horas mês).

Para abrir uma empresa para prestar serviço como PJ, você vai ter um custo, e para fechar a empresa vai ter um custo maior ainda, o CLT não tem custo algum (só o da foto 3×4 :-)).

Se um PJ falta do trabalho, o problema é dele, até com atestado médico, e não vai receber por isso, então ele não pode nem pensar em ficar doente! Se o CLT falta, com atestado, ele recebe normalmente, se fica doente, tem amparo legal!

Legalmente, uma empresa (PJ) deve gastar o lucro da empresa com A empresa, o que a maioria das pessoas faz é simplesmente pegar esse dinheiro e torrar com gastos pessoais, casas, carros, etc. Se a empresa cai em um pente fino da Receita Federal, irá pagar uma multa sobre tudo que não for comprovado como gasto da empresa PJ, ou seja, sobre TODA sua retirada! Tenho amigos que cairam nessa e demoraram mais que 5 anos para se “levantar” financeiramente.

Agora, se perguntarem qual minha preferencia, eu digo categoricamente: CLT.

O valor PJ tem que ser muito alto para justificar uma migração para o mesmo. Tem que dar dinheiro para pagar todos os benefícios do CLT e sobrar. As vezes as pessoas só olham o valor direto que o PJ rende e não olham os outros valores que o CLT propicia e caem em ilusões!

Ao analisar uma proposta, coloque TODOS os fatores na ponta do lápis e não tome uma decisão precipitada.

Texto do Juliano Marcos Martins para o site APInfo

Github: o novo curriculum do programador

Cada vez mais, conversando com amigos de empresas que buscam contratar programadores, uma coisa é consenso: em todas as entrevistas a pergunta “Você tem GitHub?” é cada vez mais frequente e unânime.

Mas por que tudo isso? Porque hoje, muitas empresas buscam avaliar o programador pelas suas realizações.

E isso é ótimo! Sabe por que? Porque o GitHub permite que você, mesmo sem experiência de mercado, possa mostrar a qualidade do código que produz. Sabe aquela velha queixa dos recém-formados que buscam uma colocação no mercado e as empresas pedem programadores com experiência prévia? Então isso pode estar com os dias contados.

Para quem não conhece, o GitHub é um repositório de códigos que funciona como um servidor de versões e que ainda é uma rede social de programadores. Sim, uma rede social na qual suas postagens são: programas! E você pode seguir projetos, clonar projetos para seu repositório local (seu HD) e fazer suas próprias modificações. E com isso, seu futuro avaliador em uma entrevista de emprego irá avaliá-lo, não pelo curriculum que você entregou, mas pelo seu histórico como programador.

Para você que ainda não criou sua conta no GitHub e está procurando um emprego, crie-a hoje! Não espere. E coloque todos os seus códigos lá, todos os seus projetos, mesmo os acadêmicos!

Mas e se aí você me perguntar: “pôxa Isidro, mas meus códigos estão muito ruins, devo colocá-los mesmo assim?”. Aí vou te responder: depende do quanto você quer convencer seu entrevistador. Se seu código não está lá aquelas maravilhas na sua visão, que tal “dar um tapa” nele, estudar melhor boas práticas, correr um pouco atrás de se atualizar em relação aos padrões de projetos, organizar seus pacotes, melhorar a legibilidade de seu código? Pronto para se mexer?

O que quero provocar em vocês, meus caros alunos é a necessidade de estarem antenados ao que o mercado tem notado e dado importância.

Conhecer uma ferramenta de controle de versões é fundamental para se trabalhar em equipe. O GitHub permite isso, além de uma série de outras integrações com outras ferramentas. E ainda mais é que você pode (e deve) mostrar todo seu potencial para a galera.

Se quiser saber mais, dá uma olhada nesses links aqui

http://www.github.com

https://help.github.com/ que vai te dar o step-by-step pra começar a trabalhar com ele.

Pense nisso! E #vamosprogramar!

Artigo do Professor Isidro para a Abraweb

Vaga Analista Desenvolvedor BI – São Bernardo Campo

Necessários:
Experiência no desenvolvimento de análises, relatórios, painéis e indicadores, independentemente
da vertical de mercado, em projetos de BI.
Experiência na definição de estratégias de coleta e consolidação de dados, com foco na otimização da base crítica para elaboração de relatórios com alto desempenho e elevado grau de importância para o negócio do cliente, bem como na definição da solução técnica que atenda tal requisito.

Conhecimentos avançados no uso de ferramentas de BI Microsoft:
SQL Server RDBMS
SQL Server Integration Services
SQL Server Analysis Services
SQL Server Reporting Services
Power BI

Desejável:
Conhecimentos na plataforma .NET, preferencialmente C# .NET e ASP.NET MVC
Conhecimento na configuração e uso de Performance Point
Conhecimento na configuração e uso de Power View, Power Query, Power Maps e Power Pivot
Visual Basic for Applications (VBA)
Master Data Service

Empresa: Programmers Informatica

Enviar curriculo para o e-mail [email protected]

Vaga Analista Desenvolvedor .NET – Rio de Janeiro

Experiência em desenvolvimento, manutenção e análise de sistemas

Programação orientada a objetos, MVC e Design patterns

Conhecimento de algum framework de mapeamento de objeto relacional (ORM)

Experiência na análise de sistemas e de negócio

Conhecimento .Net Framework 4.0 ou superior

Desejável proficiência em Domain Driven Design (DDD)
Desejável proficiência em Test Driven Development (TDD)
Desejável proficiência em NHibernate
Desejável proficiência em métodos dos ágeis

Conhecimento na área de seguros e previdência ou mercado financeiro.
Capacidade de trabalhar em equipe, pró-atividade com foco em resultados

Local de trabalho: Centro – Rio de Janeiro

Enviar cv atualizado e com pretensão salarial [email protected]